AWS re:Invent 2017: Gerenciamento Kubernetes, Serverless RDBMS & DynamoDB Global Tables

Na AWS re:invent 2017, que acontece esta semana em Las Vegas, nos EUA, vários novos recursos de computação e armazenamento têm sido anunciados, incluindo: AWS EKS, serviço de Kubernetes totalmente gerenciado; AWS Fargate, serviço para executar containers sem gerenciar servidores; Amazon Aurora Multi-Master; Amazon Aurora Serverless; DynamoDB Global Tables e backup sob demanda; Amazon Neptune, banco de dados baseado em grafo, totalmente gerenciado; e o AWS S3 Select e Glacier Select, permitindo queries tipo SQL para recuperar apenas um subconjunto de dados armazenados dentro de objetos.

Andy Jassy, CEO da Amazon Web Services (AWS), iniciou seu keynote na quarta-feira afirmando que o objetivo da plataforma AWS é fornecer “tudo o que os construtores modernos precisam, e permitir serviços, plataformas e ferramentas que possam ser efetivamente utilizadas e de forma segura dentro de um contexto empresarial”.

O primeiro anúncio de peso foi a introdução do AWS Elastic Container Service para Kubernetes (EKS), disponível para visualização a partir de hoje. Isso significa que agora os três maiores provedores de nuvem oferecem uma solução Kubernetes totalmente gerenciada, com o Container Engine (GKE), Azure (Kubernetes) Container Service (AKS). O anúncio no blog da AWS dispõe que a EKS executa a versão upstream do software Kubernetes de código aberto e será “compatível com nuvem híbrida”, atualizado e corrigido automaticamente, e se integrará a outros serviços da AWS como o CloudTrail, o CloudWatch, o IAM e o VPC.


Continuando com o tema dos containers, o próximo anúncio foi do AWS Fargate – um serviço para executar containers sem gerenciar servidores ou clusters. O Fargate é comparável ao EC2, mas com as primitivas da instância sendo containers em vez de VMs. Um engenheiro pode criar uma imagem de container, especificar os requisitos de CPU e memória, definir políticas de rede e IAM e iniciar o container dentro de um cluster gerenciado. Os clusters ECS são heterogêneos e podem conter tarefas que funcionam no Fargate e no EC2. O serviço está atualmente disponível no US East (Northern Virginia). Jassy declarou, contudo, que a AWS planeja apoiar o lançamento de containers no Fargate usando o Amazon EKS já em 2018.

O serviço de RDBMS-as-a-service da Amazon Aurora recebeu duas atualizações consideráveis, ambas disponíveis apenas para visualização. O Multi-Master Aurora permite que um engenheiro crie várias instâncias master de leitura/escrita em várias zonas de disponibilidade. Isso permite que os aplicativos leiam e gravem dados em várias instâncias de banco de dados dentro de um cluster de forma semelhante às Read Replicas preexistentes. Esta nova configuração significa que agora é possível executar acima do limite atual de 200.000 operações de escrita/seg.

O Amazon Aurora Serverless é projetado para workloads altamente variáveis e sujeitos a mudanças rápidas. Possibilita que os clientes paguem por segundo pelos recursos do banco de dados que utilizam. Os engenheiros criam um endpoint do banco de dados (e definem a capacidade mínima e máxima desejada, se necessário), e o faturamento é baseado nas Aurora Capacity Units (ACUs), cada uma representando uma combinação de potência de computação e memória. O blog da AWS afirma que o plano atual é tornar o Aurora Serverless disponível (GA) com a compatibilidade do MySQL no primeiro semestre de 2018 e acompanhar a compatibilidade do PostgreSQL no final do ano.

O serviço de gerenciamento total NoSQL, o Amazon DynamoDB, também passou por duas atualizações principais: a primeira atualização, Global Tables, permite a criação de tabelas que são replicadas automaticamente em duas ou mais regiões AWS, com suporte total para escritas multi-master. Este serviço está disponível a partir de hoje. O segundo anúncio, do On-Demand Backup, permite a criação de backups completos das tabelas DynamoDB “com um único clique” e com zero impacto no desempenho ou disponibilidade (desde que as unidades de capacidade de leitura e gravação estejam configuradas corretamente). O serviço de backup também está disponível a partir de hoje, com uma restauração pontual prevista para estar disponível no início de 2018.

Continuando no domínio do armazenamento de dados, o CEO da AWS também anunciou o lançamento de uma prévia limitada do Amazon Neptune, um serviço de banco de dados baseado em grafos totalmente gerenciado que “facilita a obtenção de informações sobre relacionamentos entre seus conjuntos de dados altamente conectados”. O serviço oferece suporte a failover rápido, recuperação ponto-a-tempo, implementações Multi-AZ e suporte de até 15 replica read para escalar o throughput da query para centenas de milhares de queries por segundo. O Amazon Neptune suporta dois padrões abertos para descrever e fazer a query de grafos: Apache TinkerPop3, com queries do Gremlin; e o Resource Description Framework (RDF), com queries do SPARQL.

Vários anúncios adicionais no contexto da computação e armazenamento de dados foram feitos ao longo do evento:

  • Extensão do modelo VPC PrivateLink, permitindo que um cliente configure e use os VPC Endpoints para acessar seus próprios serviços e aqueles disponibilizados por outros
  • Pré-visualização pública da instância i3.metal, a primeira em uma série de instâncias EC2 que permite que o sistema operacional seja executado diretamente no hardware “bare metal” subjacente, enquanto ainda fornece acesso a todos os outros serviços AWS
  • Modelo de acesso simplificado para o Spot Instances, e os spot prices, mudaram para um modelo em que os preços se ajustam mais gradualmente, com base nas tendências de longo prazo na oferta e na demanda
  • Spot Instance Hibernation – as instâncias podem salvar seu estado in-memory quando são recuperadas
  • Lançamento da nova instância H1, projetada especificamente para casos de uso que dependem de acesso sequencial de alta velocidade a vários terabytes de dados, isto é, grandes clusters MapReduce ou usando o Apache Kafka para processar arquivos de log volumosos
  • Uma nova instância M5, que oferece 14% melhor preço/desempenho do que as instâncias M4 por base no core. As instâncias suportam a Enhanced Networking (oferecendo até 25 Gbps quando usado dentro de um Placement Group) e o acesso ao armazenamento EBS é aprimorado pelo uso do NVMe (com algumas ressalvas)
  • Lançamento do novo T2 Unlimited, que oferece a capacidade de suportar alto desempenho da CPU em qualquer período de tempo desejado
  • Amazon Time Sync Service, um serviço de sincronização de tempo entregue através do Network Time Protocol (NTP), que usa uma frota de relógios meteorológicos e atômicos redundantes em cada região para fornecer um relógio de referência altamente preciso


Fonte: InfoQ

21