5 tendências DevOps para observar nos próximos anos

O termo “DevOps” é geralmente creditado a uma apresentação de 2008 sobre infraestrutura ágil e operações. Praticamente onipresente no vocabulário da TI atualmente, a expressão, no entanto, tem menos de 10 anos: ainda estamos descobrindo essa “maneira moderna de trabalhar a TI”, por assim dizer.

Claro, as pessoas que vinham “fazendo DevOps” há anos têm acumulado muita sabedoria ao longo do caminho. Mas a maioria dos ambientes DevOps – e a mistura de pessoas e cultura, processo e metodologia, ferramentas e tecnologia – estão longe de se tornarem maduras.

Mais mudanças virão, eis a certeza. “DevOps é um processo, um algoritmo”, conceitua Robert Reeves, CTO da Datical. “Todo o seu objetivo é mudar e evoluir ao longo do tempo”.

Sendo assim, o que esperar para os próximos anos? Neste post destacamos algumas das principais tendências a serem observadas, segundo especialistas DevOps:


#1. Crescente interdependência entre DevOps, containers e microserviços

 

As próprias forças que impulsionam a proliferação da cultura DevOps podem evoluir. Claro, o DevOps ainda derrubará os tradicionais silos e gargalos da TI, mas os motivos para que isso aconteça podem tornar-se cada vez mais urgentes. Cenários A&B: crescente interesse na adoção de containers e microserviços.

“Um dos principais fatores que afetam o DevOps é a mudança para microserviços”, diz Arvind Soni, VP de produtos da Netsil, acrescentando que os containers e a orquestração têm permitido aos desenvolvedores empacotar e entregar serviços a um ritmo cada vez maior. As equipes DevOps provavelmente serão encarregadas de ajudar a alimentar esse ritmo e a gerenciar a complexidade contínua de uma arquitetura de microserviços escalável.

#2. Menos redes de segurança

 

O DevOps permite que as equipes criem software com maior velocidade e agilidade, valendo-se de deploys mais rápidos e frequentes, ao mesmo tempo em que aprimora a qualidade e a estabilidade. Mas bons líderes de TI geralmente não ignoram o gerenciamento de riscos, logo, muitas das primeiras iterações DevOps começaram com salvaguardas e cautela. Para atingir o próximo nível de velocidade e agilidade, contudo, mais e mais equipes devem aderir ao movimento.

“A equipe pode estar em um ponto em que se sente confiável o suficiente com o monitoramento realizado e a habilidade para identificar e resolver problemas em produção”, diz Nic Grange, CTO da Retriever Communications.

#3. DevOps se espalhará por todos os lugares

 

O DevOps traz consigo dois grupos, o de desenvolvimento e o de operações tradicionais de TI, em alinhamento muito próximo. À medida que mais empresas vêem os benefícios no front, a cultura provavelmente se espalhará. Já está acontecendo em algumas organizações, evidente no crescente uso do termo “DevSecOps”, que reflete a inclusão intencional e muito mais antiga de segurança no ciclo de vida do desenvolvimento de software.

“O DevSecOps não trata apenas de ferramentas, mas de integrar uma mentalidade de segurança nas práticas de desenvolvimento no início”, diz Derek Weeks, VP e entusiasta DevOps na Sonatype. Fazer isso não é um desafio tecnológico, mas um desafio cultural, acredita o estrategista de segurança da Red Hat, Kirsten Newcomer.

“As equipes de segurança foram historicamente isoladas das equipes de desenvolvimento – e cada equipe desenvolveu conhecimentos profundos em diferentes áreas da TI”, diz Newcomer. “Não precisa ser assim. As empresas que se preocupam profundamente com a segurança e também se preocupam profundamente com a sua capacidade de entregar rapidamente o valor comercial através do software estão encontrando maneiras de mover a segurança nos ciclos de vida do desenvolvimento de aplicativos. Elas estão adotando o DevSecOps integrando práticas de segurança, ferramentas e automação em todo o pipeline CI/CD. Para fazer isso bem, elas estão integrando suas equipes – profissionais de segurança estão integrados com equipes de desenvolvimento de aplicativos desde o início (design) até o deploy em produção. Ambos os lados estão vendo o valor – cada equipe expande seus conjuntos de habilidades e base de conhecimento, tornando-se, assim, tecnólogos mais valiosos. O DevOps feito da forma correta – ou DevSecOps – melhora a segurança da TI”.

 

#4. Aumento do ROI


À medida que as empresas se aprofundam no trabalho de DevOps, as equipes de TI poderão mostrar maior retorno do investimento em metodologias, processos, containers e microserviços, afirma Eric Schabell, diretor de global de tecnologia da Red Hat. “O Santo Graal era mover-se mais rapidamente, realizar mais e tornar-se flexível. Como esses componentes encontram uma adoção mais ampla e as organizações se tornam mais engajadas em suas aplicações, os resultados devem surgir”, diz Schabell.

“Tudo tem uma curva de aprendizado com um pico de excitação à medida que as tecnologias emergentes ganham nossa atenção, mas também passam por uma espécie de desilusão quando a realização atinge aquele patamar onde tudo fica mais difícil aplicar. Finalmente, vamos começar a colher os benefícios que temos buscado com o DevOps, usando containers e microserviços”.

#5. Métricas de sucesso para continuar evoluindo

 

“Eu acredito que dois dos principais princípios da cultura DevOps, quais sejam automação e monitoramento, nunca estão “prontos”, diz Mike Kail, CTO da CYBRIC e ex-CIO do Yahoo.

“Sempre haverá oportunidades para automatizar uma tarefa ou melhorar uma solução já automatizada, e o que é importante medir provavelmente mudará e se expandirá ao longo do tempo. Este processo de maturação é uma jornada contínua, não um destino ou uma tarefa concluída”.

No espírito do DevOps, essa maturação e aprendizagem também dependerá da colaboração e do compartilhamento. Kail pensa que ainda é muito cedo para metodologias Agile e cultura DevOps, e isso significa muito espaço para o crescimento (ainda). “À medida que as organizações mais maduras continuam a medir métricas acionáveis, acredito – e espero – que essas aprendizagens sejam amplamente compartilhadas para que todos possamos aprender e melhorar com elas”, afirma Kail.

 

Avanços rápidos

 

Por sinal, se você estiver aguardando que as coisas fiquem um pouco mais tranquilas dentro em breve, esqueça. “Se você acha que os releases são rápidos hoje, você ainda não viu nada”, alerta Robert Reeves, CTO da Datical. “É por isso que trazer todas as partes interessadas, incluindo equipes de segurança e de banco de dados, para a iniciativa DevOps é tão crucial. O atrito causado por esses dois grupos hoje só crescerá à medida que esses releases aumentarem exponencialmente”.

Fonte: The Enterprises Project

21