Ops/Dev ou DevOps?

Kristy McDougal, engenheiro de produto e co-fundador da Orca, empresa de automação de configuração que otimiza os ecossistemas de aplicativos para empresas Fortune 100.

Kristy era membro da equipe VaraLogix que foi adquirida pela BMC. Enquanto funcionários da VaraLogix, os fundadores da Orca identificaram a necessidade de uma nova abordagem para o gerenciamento de configuração, após passarem um período considerável escrevendo scripts para mudanças no deploy. “Cerca de 70% a 80% do processo de implementação de aplicativos no DevOps corresponde à integração. No entanto, sem visibilidade no processo, muitas vezes acabávamos criando etapas de configuração em detrimento do deploy de aplicativos”, conta ele.

 

O que você considera ser os elementos mais importantes no DevOps?

Somos mais um promotor ops/dev do que DevOps. O DevOps requer mudanças massivas em colaboração, processos e resolução de problemas. Ajudamos as operações a implementar o DevOps e agregar valor. Nosso software promove a colaboração entre desenvolvedores, operações, middleware, DBA e lançamento – todos os setores que existem entre desenvolvimento e operações.


Onde seus clientes agregam maior valor?

Embora a maioria das pessoas no DevOps falem em colaboração e velocidade para o mercado, nossos clientes vêm maior valor na visibilidade de pessoas, processos e na tecnologia, claro. A realidade infeliz para tantas equipes de operações de TI é que eles estão nadando no escuro. Por exemplo, é um desafio para eles identificar quais bancos de dados estão relacionados aos aplicativos e a qual middleware. E, com essa base instável, é compreensível que as equipes tenham dificuldade em saber qual das suas mudanças foi implementada com sucesso e quais não foram. Mesmo saber quem fez mudanças e quem as aprovou é um mistério em muitos ambientes. Assim, ao permitir a visibilidade e transparência de todo o processo DevOps, ajudamos os clientes a mudar e a colaborar.


De quais maneiras seus clientes têm se beneficiado do DevOps?

Temos um cliente de serviços financeiros que está apenas começando no DevOps e estava tendo um problema de configuração de infraestrutura. Eles tinham uma fazenda de servidores de aplicativos, os quais deveriam estar funcionando com as mesmas especificações de produção. Quando colocamos o nosso software de automação no local, achamos que alguém estava usando um dos servidores de produção como uma sandbox para desenvolvedores, abrindo assim uma enorme vulnerabilidade de segurança. As pessoas pensam que sabem como é a sua configuração de infraestrutura, mas percebem no final das contas que há muito mais ali do que eles estavam realmente cientes.

Nós também temos um fornecedor industrial atualizando sua base de dados a cada 30 a 60 dias. Eles achavam que seus bancos de dados estavam perfeitamente alinhados até encontrarmos 44 mil diferenças que estavam diminuindo o desempenho. Encontramos essas discrepâncias em dois minutos versus dois meses.


Quais são os obstáculos mais comuns ao sucesso para clientes que buscam implementar o DevOps?

Pessoas e cultura. As pessoas estão enraizadas na sua maneira de fazer as coisas e proteger seus feudos. Existem processos apenas para uma equipe específica que precisam ser descartados para que o DevOps seja efetivo. E, francamente, é fácil para as pessoas imaginarem melhorias de processo incrementais, mas é mais difícil para as pessoas imaginarem uma abordagem moderna que comprove e automatize erros e tarefas banais que anteriormente faziam parte de seus problemas diários.


Na sua perspectiva, qual é o futuro do DevOps?

Pessoas, processos e tecnologia continuarão a ser o x da questão, mas cada um irá amadurecer à medida que as empresas agregarem maior valor em suas metodologias. O futuro do DevOps é ver as pessoas, os processos e a tecnologia amadurecerem para abranger todo o caminho do Dev para o Ops. Atualmente, DevOps é muito dev pesado, mas o futuro também inclui Ops. Haverá integração perfeita entre on-premises, híbrido e nuvem com maior ênfase em containers e microserviços. Os conjuntos de ferramentas serão dimensionados para lidar com desenvolvimento e operações após passar pelos pontos de fricção do QA através do deploy.

Qual conselho você daria para os desenvolvedores no que diz respeito ao DevOps?

Use a ferramenta certa para cada trabalho. Frequentemente, os clientes se familiarizam com um framework de automação que funciona bem para um aplicativo, mas depois tentarão usar o mesmo framework para tudo. Por exemplo, as pessoas usarão ferramentas de integração contínua para o lançamento de aplicativos, em vez de encontrar a melhor ferramenta de automação para o lançamento de aplicativos. E também usarão ferramentas de integração contínua de aplicativos quando na verdade eles precisam de gerenciamento de configuração contínuo. Da mesma forma, as pessoas também usam ferramentas de provisionamento quando precisam de gerenciamento de configuração contínuo.

Fonte: DZone.com


21